ADEAP participa da discussão sobre atual concessão da ferrovia no trecho Juazeiro x Salvador


Empresas de produtos e representantes do setor de transportes e logísticas na Bahia lutam pela reativação da ferrovia no trecho Juazeiro x Salvador


Em entrevista à Rádio Juazeiro no Programa de Geraldo José nesta quarta-feira, 28, o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária - ADEAP, Carlos Neiva, respondeu sobre o debate sobre a possibilidade de reativação da Ferrovia no trecho Juazeiro x Salvador.


O assunto foi tema do Webinar, realizada pela Associação de Usuários dos Portos da Bahia (Usuport) e pela Companhia Baiana de Pesquisas Minerais (CBPM), contou com a participação de mais de cem empresários, empreendedores que assistiram ao painel “A Bahia nos Trilhos” com o diretor executivo da Usuport, Paulo Roberto Batista Villa, do presidente da CBPM, Antônio Carlos Tramm, do especialista em desenvolvimento urbano e regional, Waldeck Ornelas, e do especialista em ferrovias, Bernardo Figueiredo.


Um dos pontos fortes do debate foi a exclusão do corredor Minas-Bahia uma concessão para a FCA - Ferrovia Centro Atlântica S/A e a substituição de empresa para operar a ferrovia.


"Foi um erro cometido no nosso país de focar exclusivamente no modal rodoviário, todos nós sabemos que o que mais impacta no custo final dos produtos é exatamente essa questão do transporte. E esse modal rodoviário é o mais utilizado e encarece os produtos. E nós temos o privilégio de ter uma ferrovia no estado da Bahia", explicou Carlos Neiva.


Segundo Neiva, a importância da Ferrovia vai muito além da questão econômica, "somos um polo agrícola muito importante que tem custos impactados no transporte e hoje temos duas minerações forte no Estado da Bahia, próximas a Juazeiro e que serão atendidas com a reativação dessa ferrovia. A Mineração Caraíba com extração de cobre e agora a que está se instalando na cidade de Sento Sé, a Tombador Iron Mineração para extração de minério de ferro. A retomada da ferrovia na Bahia como grande impulsionador de geração de emprego e renda e fortalecimento da nossa economia", argumentou.


O presidente da ADEAP sugere que a própria Mineradora Tombador Iron possa operar a Ferrovia, "que vai investir 11 bilhões de reais aqui na região dos quais ela pretende destinar 5 bilhões para uma ferrovia. Para o transporte de minério esse modal ferroviário é imprescindível e estamos vendo na atual gestão do país investimento mais expressivo em ferrovias", sugeriu.


A linha ferroviária e seus equipamentos que atravessam o município de Juazeiro sempre foram temas de debates assim como a reativação do transporte nessa modalidade de produtos e passageiros. Junto a esse modal, somando os transportes fluvial e aéreo, além do rodoviário, já existente, resultará num sistema intermodal que tem como objetivo redução de custos no preço final dos produtos.


O Brasil é o nono país em rede ferroviária e a Bahia possui 20 municípios por onde passam as ferrovias.


Iana Lima - Jornalista

Foto divulgação PMJ

Comente e Compartilhe!