Alden diz que estava desarmado e aguardou autorização para entrar em hospital



A versão é diferente da divulgada pela Sesab, que acusou o deputado de ameaçar funcionários com voz de prisão e ter acesso a uma ala com pacientes nus. 

O deputado estadual Capitão Alden (PSL) negou a versão da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) de que teria invadido o Hospital Riverside, em Lauro de Freitas, dedicado a tratamento de pessoas com coronavírus, nesta quarta-feira (17).


Em contato com o Bahia Notícias, Alden relatou que estava desarmado e que aguardou por duas horas para ter sua visita liberada para fiscalizar o funcionamento do hospital de campanha. 


A versão é diferente da divulgada pela Sesab, que acusou o deputado de ameaçar funcionários com voz de prisão e ter acesso a uma ala com pacientes nus. 


Entrei pela porta da frente e conversei com o porteiro, avisando que gostaria de fazer a fiscalização da unidade, como parte da prerrogativa como deputado. Aguardei por duas horas no hall do prédio a chegada do diretor do Riverside”, contou Alden. Após o período, o parlamentar diz ter sido surpreendido com a chegada de cinco viaturas da Rondesp antes de deixar o local sem ter acesso a pacientes e as dependências da unidade. 


O aliado do presidente Jair Bolsonaro ainda acusa a gestão do governador Rui Costa de dificultar o acesso aos hospitais de campanha. Nas redes sociais, o parlamentar tem apontado supostas irregularidades cometidas nos contratos do governo. 


Enviei um cronograma com todas as visitas que gostaria de fazer ao secretário Fábio Vilas-Boas. Após a primeira visita que fiz ao lado de dois assessores da Sesab ao hospital de campanha da Fonte Nova e as primeiras denúncias de irregularidades, nunca mais obtive respostas do secretário sobre as visitas”, defendeu Alden. 


A unidade escolhida para a visita não autorizada desta tarde não permite a entrada nem de familiares e acompanhantes dos pacientes com Covid tratados no local, afirma a Sesab



Fonte: Metro 1