Após Índia negar envio imediato de doses da vacina de Oxford, governo federal requisita CoronaVac



Ministério da Saúde enviou um ofício ao Butantan para entrega imediata de 6 milhões de doses do imunizante.

O Ministério da Saúde enviou hoje (15) um ofício ao Instituto Butantan, responsável pela produção da vacina CoronaVac em São Paulo, requisitando a entrega imediata de 6 milhões de doses do imunizante contra a Covid-19.


"Solicitamos os bons préstimos para disponibilizar a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial perante a Anvisa. Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este Ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a Covid-19, tão logo seja concedido a autorização pela agência reguladora, cuja decisão está prevista para domingo", diz a nota assinada pelo diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias


Até o momento, a maior aposta do governo Bolsonaro para começar a vacinação na próxima semana eram as doses do imunizante de Oxford/AstraZeneca, que seria importado de um laboratório indiano.


O avião que buscaria 2 milhões de doses hoje com retorno previsto para domingo (17), no entanto, não obteve autorização da Índia para decolar. Em entrevista à rede Bandeirantes, Bolsonaro admitiu que a operação seria atrasada.


Fonte: Metro1



Sua opinião é importante para nós. Faça o login e deixe seu comentário no rodapé de nossas matérias. O CARTAZ DA CIDADE agradece por sua participação.