Bahia precisa triplicar investimentos para atingir meta de Lei do Saneamento Básico, aponta estudo



No estado, o estudo aponta que, até 2018, 82% do estado era atendida com água tratada e 40% com esgoto.

Um levantamento do Instituto Trata Brasil, organização que monitora avanços do saneamento básico e na proteção dos recursos hídricos do país, apontou que, para a Bahia atingir as metas da Lei do Saneamento Básico, sancionada em julho, é necessário aumentar em 3,24 vezes o valor do investimento médio anual no setor.


As metas estabelecem que o Brasil precisa chegar a 2033 com 99% de sua população atendida com água tratada e com 90% coleta e tratamento de esgoto. Na Bahia, o estudo aponta que, até 2018, 82% do estado era atendida com água tratada e 40% com esgoto.


Segundo o levantamento, o investimento médio anual em água e esgoto no estado, entre 2014 e 2018, foi de R$ 603 milhões e que, para atingir a meta, a Bahia precisará ter uma média anual de R$ 2,012 bilhões entre 2019 e 2033.


Para a pesquisa, o estudo utilizou dados de investimento e atendimento de água e esgoto do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), a meta de investimento do Plansab e do diagnóstico realizado pelo consórcio formado pela Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto e a companhia holandesa Klynveld Peat Marwick Goerdeler (ABCON-KPMG).


Fonte: Metro1