Bombeiros civis são inclusos a grupos prioritários para a imunização contra a Covid-19



Bombeiros Civis de todo o Brasil, foram inclusos ao grupo prioritário para serem imunizados contra a Covid-19. A decisão veio após o presidente Jair Bolsonaro sancionar a lei de número 14.023/20, de 08 de julho de 2020. A lei reconhece brigadistas, bombeiros civis e militares como profissionais essenciais ao controle de doenças e à manutenção da ordem pública. Recentemente, o Ministério da Saúde, reconheceu e informou, através de um Informe Técnico, os procedimentos a serem adotados, as devidas orientações e classificou os grupos de risco que são prioritários para receberem a imunização, colocando os Bombeiros Civis entre os grupos prioritários.


Levando em consideração a lei sancionada pelo Presidente, a Prefeita Suzana Ramos (PSDB), fazendo o uso de suas atribuições, decretou que, durante emergência de saúde pública, serão tomadas as providências necessárias para garantir o bem estar e saúde de profissionais considerados essenciais para manutenção da ordem pública e para o combate de doenças.


Em entrevista ao Cartaz da Cidade, Cláudio dos Santos, que é Conselheiro da Frente Parlamentar do Bombeiro Civil no Estado da Bahia e que atua na Cidade de Juazeiro e em cidades circunvizinhas, ressaltou a importância dos profissionais serem inclusos no grupo prioritário.


“Nós ficamos muito felizes, e de certa forma despreocupados com a decisão de nos incluir no grupo prioritário. Desde o início da pandemia, nós estamos atuando em barreiras sanitárias, em feiras livres, e em diversos locais para garantir que a população tenha um suporte. Ainda existe um preconceito muito grande, quando se fala em bombeiro civil, por ser uma categoria sempre deixada de lado. Nós estamos em constante treinamento, realizamos ações em parceria com instituições federais e é de extrema importância essa decisão, para que nós possamos continuar trabalhando. Nós só temos a agradecer”, disse Cláudio.



O conselheiro citou também a necessidade da realização do trabalho conjunto, em parceria com Bombeiros Militares, e outras forças de segurança alegando que “se, em um caso de colapso, ou em uma situação onde a coisa fuja do controle, é importante a presença de profissionais capacitados, que possam dar um suporte e ajudar a manter a ordem e salvar vidas. Nós estamos nos preparando, adquirindo equipamentos e estamos dispostos a seguir trabalhando para que nada fuja do controle. É aquilo que a gente sempre escuta, toda ajuda é bem vinda e uma mão lava a outra”, concluiu Cláudio.


Recentemente, O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido do Estado da Bahia para suspender a liminar que o obriga a liberar das atividades presenciais os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que se enquadrem no grupo de risco para contaminação com a Covid-19.


Em contrapartida, o Estado alegou, através de uma petição, que não é possível afastar os profissionais de suas funções, devido ao momento crítico da pandemia, e que o risco é inerente à atividade do profissional da área de saúde.


Levando em consideração o que foi dito pelo Estado na petição enviada ao STF, fica nítida a necessidade da presença de profissionais qualificados para que possam atuar na linha de frente quando no combate à pandemia, sendo levado em consideração o grande aumento do número de casos do vírus em todo o país, o que acaba reforçando a fala de Cláudio.


Além da grande importância que os profissionais que atuam no tratamento de pessoas infectadas pelo vírus têm para o combate a pandemia, os profissionais que atuam na manutenção da ordem, tendo contado direto com a população e realizando trabalhos de conscientização e fiscalização, não podem ser esquecidos, pois estão expostos diariamente a diversas situações.


Fonte: Redação Cartaz da Cidade

Sua opinião é importante para nós. Faça o login e deixe seu comentário no rodapé de nossas matérias. O CARTAZ DA CIDADE agradece por sua participação.