Caso Beatriz: Suspeito detido é liberado por falta de provas


O homem capturado negou participação na morte de Beatriz, mas assumiu outro crime


Na última quarta-feira (02), um homem suspeito de assassinar Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, de 7 anos, em dezembro de 2015, em um colégio particular de Petrolina (PE), foi preso após ser comparado ao retrato falado do acusado, divulgado recentemente por investigadores, contratos pela polícia, pela família da criança.


Segundo informações da PM, o homem estava internado no Hospital Municipal Antônio Teixeira Sobrinho (HMATS), e a polícia foi acionada por uma pessoa. Com a chegada da guarnição, o suspeito evadiu pela parte do fundo da unidade hospitalar, sendo detido logo em seguida na cidade de Pindobaçu a 60 km de Jacobina, por guardas municipais, e foi levado para a delegacia.


Já na Delegacia, o homem que não portava documentos, negou envolvimento com o assassinato, mas confessou um outro crime. Ele informou ser foragido do Estado do Ceará, onde teria assassinado a sua esposa em 2018.


O homem foi liberado por falta de provas. Foi colhido o material papiloscópico e de DNA, que serão encaminhados para a polícia pernambucana.


A PC-BA enviou uma nota à imprensa. Veja:


“O homem que fugiu de um hospital em Jacobina, quando seria abordado por policiais militares, foi localizado e conduzido para a unidade policial de Pindobaçu, na quarta (2). Posteriormente, ele foi transferido a Senhor do Bonfim, onde foi averiguado que não há qualquer mandado de prisão contra ele. Ele foi ouvido e liberado. Até o momento, não há elementos que liguem o homem ao homicídio da menina Beatriz Angélica Mota Ferreira, ocorrido em dezembro de 2015. A Polícia Civil de Pernambuco investiga o crime”.


Da Redação - Caíque Lima

Comente e Compartilhe!