Caso Rani Eletricista: Justiça nega pedido de prisão preventiva de acusado de assédio sexual



O Tribunal de Justiça negou o pedido de prisão preventiva do eletricista Marcos Raniery de Freitas acusado de assediar mulheres na cidade de Juazeiro-BA.


No mês de janeiro, Rani Eletricista como é conhecido, foi preso depois que antigas clientes prestaram queixas alegando que vinham sofrendo perseguição e chantagens. O acusado se passava por eletricista para entrar nas residências das vítimas.


No mês de janeiro, ele foi detido por perseguir uma das vítimas, mas acabou sendo solto no mesmo dia.


O caso passou a ser investigado pela Delegacia da Mulher (Deam). Segundo a delegada Licelma Gomes Bonfim, foi apresentado um pedido de prisão preventiva, que foi indeferido. A justiça optou pela aplicação de medidas cautelares diversas. Uma delas é a proibição de se aproximar das vítimas, fixado o limite mínimo de 500 metros de distância.


Familiares das vítimas, não ficaram satisfeitos com o desfecho do caso. "Será que a justiça está esperando alguma mulher ser estuprada ou morta, para adotar as providências necessárias?", perguntou o marido de uma das mulheres.


A equipe do Cartaz procurou a Segunda Vara para comentar sobre a decisão, mas, até o momento, não obteve resposta.





Fonte: Redação Cartaz da Cidade

Sua opinião é importante para nós. Faça o login e deixe seu comentário no rodapé de nossas matérias. O CARTAZ DA CIDADE agradece por sua participação.