Cientistas da UFRJ identificam paciente infectada com o coronavírus por 5 meses



O novo coronavírus pode se manter ativo no organismo de uma pessoa infectada por um longo período de tempo, a descoberta foi feita por cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


O estudo ainda identificou que o vírus pode ser transmitido mesmo após a segunda semana de infecção.

Durante a análise os pesquisadores constataram uma paciente que se manteve com resultado positivo no exame RT-PCR durante cinco meses. Este tipo de exame identifica a presença do vírus no organismo. 


De acordo com reportagem do G1, a chefe do Departamento de Doenças Infecciosas da UFRJ e coordenadora do Centro de Triagem e Diagnóstico da Covid-19 na universidade, Teresinha Marta Castineiras, acredita que o estudo fez cair a tese de que o novo coronavírus perde a capacidade de transmissão após a segunda semana do contágio.


Ela explicou que um grupo de pacientes tem sido acompanhado pelos pesquisadores mediante a realização do teste RT-PCR. Mais de 70% deles permanecia com resultado positivo durante duas semanas após a infecção.



Fonte: Bahia Notícias

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087