Codevasf reúne produtores do Projeto Maniçoba para tratar da instalação de usina fotovoltaica




Os detalhes técnicos para implantação de uma usina fotovoltaica no Projeto Público de Irrigação Maniçoba, em Juazeiro (BA), foram discutidos por representantes da Companhia de Desenvolvimento dos vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e o Distrito de Irrigação de Maniçoba (DIM). A proposta é que a Codevasf ceda uma área do Maniçoba para instalação da usina.


A reunião foi realizada na semana passada, no auditório do DIM. Participaram do encontro, Andrea Moreira, superintendente substituta da 6ª Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro (BA) e técnicos da empresa; superintendente estadual do BNB, José Gomes, acompanhado de técnicos do banco, e o gerente executivo do DIM, Valter Matias.


Na oportunidade, Valter Matias fez uma palestra sobre o Maniçoba, apresentando as características do empreendimento rural, a importância socioeconômica do perímetro para a região e os benefícios que a implantação da usina fotovoltaica pode trazer para os produtores rurais.


A iniciativa visa implantar no Maniçoba uma infraestrutura de captação capaz de gerar cerca de 4,5 megawatts de energia limpa, renovável e sustentável, sem a presença do efeito estufa, resíduos ou ruídos. Com isso, pretende-se reduzir os gastos com a energia elétrica utilizada no bombeamento de água para irrigação, diminuindo desta maneira os custos de produção para cerca de 625 produtores rurais.


Até o momento, a administração do DIM calcula que houve um gasto mensal de R$ 283,2 mil com energia elétrica usada no perímetro e os gastos anuais já superam os R$ 3,3 milhões. Hoje, o consumo de energia elétrica é responsável por 35% das despesas para funcionamento do perímetro. A expectativa é de que, com o uso da usina fotovoltaica, em dez anos essa despesa fique próxima de zero.


O investimento total do projeto está orçado em aproximadamente R$ 24,9 milhões, dos quais cerca de R$ 22,4 milhões podem ser financiados pelo BNB por meio da linha de crédito FNE Sol. A expectativa é de que os equipamentos a serem adquiridos, e que possuem uma vida útil estimada em mais de 20 anos, possam ter seu financiamento quitado em cerca de cinco anos.


O projeto da usina fotovoltaica já foi apresentado à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, durante visita ao perímetro Maniçoba, em abril do ano passado.


Fonte: Ascom / Codevasf

Sua opinião é importante para nós. Faça o login e deixe seu comentário no rodapé de nossas matérias. O CARTAZ DA CIDADE agradece por sua participação.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087