Comissão de Anistia adia votação de pedido de indenização de Dilma.


A Comissão de Anistia decidiu adiar a análise do processo em que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) pede indenização por ter sido perseguida política na ditadura militar (1964-1985), após pedido da relatora do caso. A votação do requerimento de Dilma estava prevista para esta quarta-feira (26), mas, no início da sessão, a conselheira Any Ávila Assunção alegou que os fatos eram complexos e que seu parecer "ainda está em construção". 

O pedido da relatora foi aceito pelo presidente do colegiado, João Henrique Nascimento de Freitas. Nem o presidente nem a relatora informaram sobre quando o caso de Dilma poderá voltar à pauta. A retirada de pauta do processo foi criticada pela representante de Dilma, a advogada Paula Sapir Febrot. "Não fui avisada de que o processo sairia de pauta. A retirada de pauta não pode ser feita cinco minutos antes de começar uma sessão".

O requerimento da ex-presidente -que foi presa e torturada durante o regime militar- foi protocolado em outubro de 2002. Mas, segundo contou Dilma no início deste ano, ela pediu que o processo fosse suspenso enquanto ocupou os cargos de ministra de Estado e de presidente da República. 




Fonte: Bahia Notícias