Drenagem linfática, quais benefícios e riscos?




Por Jucélia Almeida


A drenagem linfática manual é procurada na maioria dos casos por mulheres, por motivos de estética. Umas acreditam que a técnica auxilia na perda de peso, mas será que realmente isso acontece?



Para esclarecer essas e outras dúvidas o assunto da semana é saber quais os benefícios da drenagem linfática manual. A drenagem é uma terapia manual, unidirecional, rítmica, suave e lenta que tem por objetivo promover o deslocamento da “Linfa” para os linfonodos que estão espalhados por nosso corpo.


A linfa é um líquido produzido quando o sangue atravessa os vasos capilares e vaza para o corpo, os poros dos capilares são pequenos e não permitem a passagem dos glóbulos vermelhos, mas deixam passar o plasma sanguíneo, contendo oxigênio, proteínas, glicose e glóbulos brancos. Quando a circulação não acontece de maneira adequada, a linfa que deveria ser absorvida pelo organismo e expelida através do suor e/ou da urina se acumulam, ocasionando os edemas (inchaço) por todo corpo. Além disso, está diretamente ligada com a defesa do corpo.


Outra estrutura importante são os linfonodos (gânglios linfáticos) que são pequenas estruturas que funcionam como filtros (peneiras) para substâncias nocivas. Eles contêm células do sistema imunológico que ajudam a combater infecções, atacando e destruindo germes que são transportados pelo líquido linfático.



Devido a importante função da linfa na defesa do organismo a realização da drenagem linfática vai mais além dos fins estéticos. Por esse motivo a técnica deve ser realizada de maneira adequada, pois da mesma forma que traz benefícios a saúde, se aplicada de maneira equivocada pode causar malefícios para quem a recebe.


Com a função de defesa do corpo, a linfa tende a se acumular em locais onde apresentam “processos infecciosos”, o grande número de linfócitos (células de defesa) faz com que exerçam a função de “soldados” combatentes no corpo. Na prática, as conhecidas “ínguas” que geralmente aparecem na região de virilha e/ou axila nada mais é que o acúmulo de linfa no local. Mas porque especificamente nesses dois lugares? Existem linfonodos apenas nesses locais do corpo? Não, nessas regiões são mais perceptíveis, pois acumulam mais linfonodos e consequentemente mais linfa, por esse motivo sentimos doer quando estão abarrotados; mas estão espalhados por todo nosso corpo.


Como já mencionado a técnica unidirecional tem por objetivo drenar o líquido acumulado para os capilares. Essas estruturas são superficiais e sensíveis, por isso, para obter o resultado esperado as manobras necessitam de paciência e a velocidade deverá simular a mesma do organismo. A lentidão e o ritmo são a chave para resultados imediatos na redução de edemas.


Então vamos responder a primeira pergunta: a drenagem linfática não tem a capacidade de redução de peso, mas redução de acúmulo de líquido corporal. Então por que quem recebe a massagem tem a sensação de estar mais leve? Simples, o acúmulo de líquido faz com que o corpo fique mais pesado. Vale ressaltar que não há outra maneira de redução de peso a não ser através de reeducação alimentar e realização de atividades físicas, as quais deverão ser acompanhadas por profissionais habilitados, nutricionistas e educadores físicos.


Outro comentário bastante comum a respeito é que, ao receber a massagem ficou com o corpo dolorido, e em casos mais extremos surgem hematomas (manchas roxas). Como é possível uma técnica lenta e superficial promover essas reações? Na verdade, houve um equívoco! Existe ainda uma confusão entre duas técnicas distintas, como por exemplo, a drenagem linfática e massagem modeladora. Contudo vale ressaltar que, nenhuma técnica de terapia manual deve promover qualquer tipo de lesão ao corpo, nesse caso específico hematomas.


Assim como as demais técnicas, a drenagem requer cuidados especiais. É imprescindível avaliação prévia antes de iniciar, bem como acompanhar o comportamento do paciente/cliente na hora da aplicação, em razão disso, existem contraindicações que não podem ser negligenciadas:


Contraindicação


  • Processo infecciosos de qualquer natureza;

Como a linfa está diretamente ligada no processo de defesa e ao fazer a drenagem acelera o fluxo, há um risco de potencializar o processo infeccioso.


  • Insuficiência cardíaca crônica e pressão alta não controlada;

O processo de drenagem tende a sobrecarregar os rins em razão do deslocamento da linfa. O organismo precisa trabalhar mais para atender a demanda, por isso, é preciso que o funcionamento cardíaco e renal esteja funcionando adequadamente.


  • Suspeita ou confirmação de trombose;

A linfa é diretamente ligada com o sistema circulatório. Em casos de trombose ou suspeita, pelo princípio de acelerar esse processo circulatório através da manipulação, há o risco de deslocar um trombo (coágulo sanguíneo) para pulmão, cérebro ou coração e ocasionar insuficiência em um dos órgãos vitais.


  • Câncer, principalmente em metástase;

Pelo mesmo princípio anterior, aceleração da circulação, e consequente aceleração da migração de células cancerígenas.


As contraindicações acima são consideradas absolutas, significa que em hipótese alguma deverá ser realizada a drenagem linfática. Para isso, é imprescindível avaliação detalhada para identificá-las. Vale ressaltar que não significa que se fizer apenas uma sessão terá problemas, mas, aconselha-se não arriscar. O segredo é fazer com um profissional habilitado a fim de evitar riscos à saúde, fisioterapeutas e/ou massoterapeutas, com conhecimento amplo da técnica, benefícios e contraindicações.



Jucélia Almeida

Fisioterapeuta,

Especialista em Oncologia,

Mestranda em Ciências.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087