FUMAÇA MISTERIOSA PREJUDICA MORADORES DE JUAZEIRO, NA BAHIA.

Mistério levou suspeita à AGROVALE, que nada tem a ver com a história.

As noites de domingo e segunda-feira últimas, dias 11 e 12 de novembro, foram angustiantes para muitos moradores da zona urbana de Juazeiro, com uma misteriosa e mal cheirosa fumaça que invadiu os lares dos munícipes, prejudicando a respiração de muitos.


Não se sabe ainda a origem da poluição, sendo, inclusive, imputada à AGROVALE, que tem uma prática de queima das folhagens restantes das colheitas, já conhecida por todos os juazeirenses, por conta da fuligem que cai sobre as residências. Um vídeo amador foi produzido, mostrando que a fumaça vinda da direção daquela empresa, mas sem poder atestar exatamente o local, o que deixou nossa equipe de cabelo em pé, para buscarmos explicações. Veja o vídeo que nos foi enviado abaixo:



Entretanto, como as queimadas da AGROVALE, regulamentadas por lei, não causam o odor verificado nesses dois dias, nem tão pouco foi constatada a queda da tradicional fuligem nesse período, ao tempo em que só ocorre depois das 21 horas, a equipe do cartaz da Cidade entrou em contato com a Diretoria da Empresa, que, de pronto, nos atendeu com uma Nota de esclarecimento. Veja a Nota:


"Juazeiro-BA, 13 de novembro de 2019.


Em resposta à solicitação do Site Cartaz da Cidade, a AGROVALE comunica que cumpre todo o regramento jurídico/ambiental sobre o tema, minimizando os impactos, dialogando e acatando as sugestões, mesmo as não impositivas dos órgãos de fiscalização.


A empresa informa que vem realizando investimentos contínuos, visando a melhoria dos seus processos, com a adoção de medidas técnicas e de responsabilidade econômica, social e de sustentabilidade ambiental. Como resultado, é possível constatar a redução significativa da incidência da fuligem em comparação às ocorrências em anos anteriores.


A AGROVALE também intera que no tocante à tecnologia de corte mecanizado disponível no mercado, esta não atende as características peculiares da agricultura 100% irrigada que a empresa pratica, sendo única no mundo em cana com alta densidade, acrescida das dificuldades de manejo do solo, o que tem dificultado as ações no intuito de atender em sua totalidade a erradicação da queima controlada.


Os procedimentos de colheita por meio da queima controlada são realizados seguindo os critérios técnicos de manejo da cultura da cana-de-açúcar com a seguridade ambiental atendendo as condicionantes previstas nas autorizações de queima controlada. A queima controlada é realizada com medidas de proteção e conservação à fauna e a flora, respeitando as distâncias mínimas adequadas à segurança de residências ou equipamentos urbanos. Toda a operação de queimada controlada inclui equipamentos adequados, mão-de-obra treinada e especializada com medidas de segurança necessárias para garantir a integridade das pessoas e das áreas circunvizinhas. Importante dizer ainda que, a operação é realizada exclusivamente no período noturno a partir das 21 horas com observância à direção do vento predominante, quando eles sopram na direção contrária às cidades. Todos os procedimentos mitigatórios adotados visam a atenuar os efeitos causados à população.


A empresa salienta que confia nas instituições e sabe da importância destas na busca da verdade e acredita ainda que com as parcerias firmadas com a comunidade acadêmica e científica todas as informações requeridas pelos órgãos competentes serão fornecidas com a máxima fidelidade.


Diretoria da Agrovale"


Fica, agora, a dúvida: QUEM ESTÁ QUEIMANDO A CIDADE DE JUAZEIRO ?


Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro-BA, 48904-087