Funcionários da Promatre ameaçam paralisar suas atividades devido a falta de repasse da Prefeitura.


Os funcionários da Promatre de Juazeiro no norte da Bahia divulgaram em redes sociais que os mesmos estão sem receber seus salários, devido ao atraso no repasse por parte da Prefeitura Municipal. Segundo os funcionários, eles irão, já na quinta-feira (30), se reunir para fazer um protesto e estão convocando a todos os funcionários, familiares e amigos pra se fazerem presentes em apoio ao movimento, e que já na sexta-feira (31), irão parar as sua atividades.

 

Ontem no programa de Geraldo José da radio Juazeiro, o prefeito ,ex-comunista, Paulo Bomfim, afirmou que não tinha responsabilidade sobre salários de funcionários, disse que são 11 anos do PC do B á frente da prefeitura de Juazeiro e não tinha atraso de salario, mas que ia falar com o pessoal da saúde para tentar ajudar a Promatre. Imediatamente, ao tomar conhecimento das declarações do Prefeito Paulo Bomfim, o diretor da Promatre exigiu um direito de respostas para esclarecer a população o que de fato está acontecendo.

 

Veja abaixo a transcrição ipsis Litteris da entrevista do Dr. Pedro filho, diretor executivo do Hospital Promatre: 



Eu vim para esclarecer a verdade. Primeiro a Promatre não é uma instituição privada, é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos de utilidade pública municipal, estadual e federal, segundo, nisso o prefeito tem razão, ele não tem responsabilidade nos pagamentos dos funcionários da Promatre, concordo inteiramente, tá aí uma coisa certa que eu ouvi ele dizer, só que ele tem o dever de pagar os serviços contratados, as notas fiscais estão lá, os serviços foram prestados e estão em atraso. Pagarem sexta -feira emergencialmente 25% da dívida, nós estamos com os salários atrasados, com dificuldade de abastecimento do hospital e eu procurei duas vezes a Secretária de Saúde mas não a encontrei, e fui atendido pela senhora Luciana superintendente. Não sei bem o quê que disse que não teria o que fazer, como disse na semana passada. Na semana passada tava de um jeito Geraldo, que nem o lixo eu pude recolher por conta desses atrasos. Só esse mês houveram 9 demissões indiretas e eu não posso tirar a razão dos funcionários que entraram com demissões indiretas por atraso de pagamento, muitas virão por ai. E hoje eu fui comunicado pelos funcionários que irão protestar quinta-feira (30), e que na sexta feira a maioria não irá trabalhar por falta de salários porque vale-transporte, alimentação, estão pagando para trabalhar. Os que tem dois empregos ainda fazem o sacrifício e vão, os médicos muitos vão outros deixam de ir de modo que eu não to pedindo ajuda não, prefeito eu não preciso  que o senhor ajude a Promatre, eu preciso que o senhor pagar o que deve, o que o município deve, assim como deve também naquela casa que o senhor alugou no Country Club em frente a casa do comando da polícia para o CAPS, o município deve mais de 5, 6  meses, procura ver prefeito, seus funcionários estão em dia, os funcionários da Promatre não estão em dia e a responsabilidade é dos atrasos do município. O município não pagou, não repassou os contratos, as notas fiscais estão tiradas senhor prefeito.

 

Quando perguntado pelo radialistas Geraldo José quanto seria o montante devido pela prefeitura, porque segundo o radialista o prefeito não disse, o diretor da Promatre respondeu:


"O valor da divida é em torno de um R$ 1.500.000,00 (Um  milhão e Quinhentos mil reais), não vamos nem falar em reajuste, nem dos serviços que foram retirados, não vamos nem falar na maternidade que gasta 25 milhões por ano e só produz três milhões, nem dos problemas do sanatório que a fatura de R$ 300.00,00 baixou para R$ 100.000,00 porque o prefeito sabe muito bem o porque e o ministério público tem o direito de saber também e muita gente mais deve saber o por quê não é prefeito? O sabe o porque o problema do sanatório né? e assim vai por ai a fora "


Quando perguntado ao entrevistado qual seria o problema do sanatório, o Dr. Pedro Filho respondeu:


"O problema do sanatório eu acabei de lhe dizer, mas pergunte ao prefeito que ele lhe diz, ninguém melhor do que ele para lhe dizer, pergunte ao pessoal da Secretaria da Saúde das faturas que diminuíram de repente de trezentos para cem mil reais  por mês, aproximadamente isso, não é prefeito? acho que o senhor deve saber disso , o próprio procurador do município sabe disso de modo que se o pagar, as coisas voltam ao normal, basta os serviços que o senhor já tirou que o PC do B, como o senhor falou, partido comunista do Brasil já tirou de urgência e emergência e licença maternidade, o senhor hoje fala e a Secretária de Saúde falou que na rede PEBA faz 400 partos por mês nós fazíamos, Promatre, Clise, Maternidade São  José, nós fazíamos entre 850 e 900 partos por mês, nós não transferíamos ninguém para Petrolina, nós resolvíamos as más formações congênitas, exceto as de coração, todas as crianças que nasciam com uma má formação congênita, nós resolvíamos na Promatre, as estenoses pilóricas, atresias de esófago e outras mais, os prematuros, as urgências e emergências de 21 municípios que eram os municípios pactuados com a Secretaria de Saúde, antes da rede PEBA, nunca transferimos uma só paciente para Petrolina ou para outra cidade, a não ser por conveniência domiciliar, pacientes que tiveram parto prematuramente e por uma conveniência domiciliar depois de 5, 6 dias por conta da amamentação eram transferidas, nós fazíamos em torno de 120 até 150 cirurgias ortopédicas por mês, nós fazíamos todas neurocirurgias, tudo isso foi suprimido, eu entendo que é a política de saúde do município e não tenho opinião a dar, o prefeito tem ... eu peço ao prefeito que pense e reflita."


Ao final da entrevista, o diretor da Promatre Dr. Pedro Filho, em tom de ironia, disse "tomara que tenha o carnaval, pois para  isso tem dinheiro mas para a saúde não tem."





Fonte: Blog Professor Taciano Medrado

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro-BA, 48904-087