Maio Laranja: mês de conscientização ao combate a exploração sexual contra crianças e adolescentes



Estima-se que no Brasil, a cada hora, três crianças ou adolescentes são abusadas. Um levantamento realizado no ano passado mostrou que a maioria dos abusos, acontece dentro do relacionamento intrafamiliar, tendo pais, irmãos, tios e padrastos como os principais abusadores. As vítimas, muitas vezes, também são violentadas e abusadas por pessoas próximas a família, como amigos e vizinhos.


Com a aprovação da Lei Federal 9.970/2000, no dia 17 de maio de 2000 e a publicação no Diário Oficial da União no dia 18 de maio daquele ano, ficou intitulado, o dia 18 do mês, como o Dia Nacional de conscientização e combate ao abuso sexual infantil. A campanha se dá, ao alto índice, de exploração e abuso sexual que crianças e adolescentes vem sofrendo ao longo da infância e juventude.



A luta contra o abuso e exploração sexual a crianças e adolescentes no Brasil, surgiu no ano de 1973, após um crime bárbaro que chocou o país ter acontecido naquele ano. A vítima, uma menina de oito anos, fora assassinada, de forma brutal e seu corpo foi encontrado dias depois, desfigurado por ácido. Constatou-se na época, que, a vítima, sofreu espancamento e foi abusada e violentada de formas terríveis.



A Violência sexual é considerada, qualquer ato sexual ou tentativa, seja por violência ou coerção, comentários ou investidas sexuais indesejados, atividades como o tráfico humano ou diretamente contra a sexualidade de uma pessoa, independentemente da relação com a vítima. A violência sexual contra crianças e adolescentes é uma das formas mais graves e cruéis de violência, pois ela rouba a pureza, o sonho, destrói o mundo de fantasia das crianças e adolescentes, violando sua intimidade.


A violação sexual afeta de forma profunda a vida das vítimas. Elas começam a se isolar, mudando visivelmente o comportamento, aparentam apatia e tristeza, o rendimento escolar tende a cair. Muitas se calam por medo e quem consegue coragem para relatar o abuso sofrido, na grande maioria é desacreditada pela própria família.


A campanha Maio Laranja, tem como objetivo, alertar e conscientizar à população brasileira, para esse grave problema que muitas crianças e adolescentes do nosso país, têm passado e estão suscetíveis a passar. A expressão foi inspirada em uma flor, simbolizando assim, a primeira infância de uma criança e sua fragilidade.


Este ano devemos ficar ainda mais em alertar. A pandemia e o isolamento social podem ser um gatilho para que os crimes contra criança, adolescentes e contra as mulheres no ambiente familiar aumentem, pois estão convivendo de forma mais direta com o agressor.


É importante que as pessoas em volta das crianças e adolescentes, estejam sempre em alerta. Que as mães orientem seus filhos com os cuidados que eles devem ter, alertando sobre comportamentos estranhos e toques de adultos ou até mesmo de outros adolescentes.


Os pais ou responsáveis precisam parar para ouvir a criança e sempre sondar como foi o seu dia. Todo cuidado é pouco e nunca se sabe quem pode ser um abusador.


Veja as orientações da Médica Pediatra, Dra. Tati Lemos:


Em caso de relato de abuso, denuncie. Entre em contato com o disque 100 ou procure uma delegacia mais próxima da sua casa. Busque ajuda e orientação.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087