O mercado de vice-prefeito de Juazeiro: "Quem vale mais?"



Por Iuric Pires


Já iniciamos a corrida eleitoral faz algum tempo. Candidatos a Prefeito(a) e a Vereador(a) começaram suas movimentações aos redutos políticos desde o fim da eleição que elegeu o presidente Jair Bolsonaro.


Mas, ao que parece, os partidos políticos e alguns “caciques” da política, em Juazeiro, encontraram um novo “Nicho de Mercado” para as próximas eleições municipais. Escrevo esse termo para caracterizar um novo ambiente político que tem o maior crescimento de oferta nos últimos dias.


Nicho de mercado é um termo utilizado na ciência econômica, muito familiar quando se discute Administração de Empresas. As empresas buscam nichos para suas atuações perante o que, segundo o autor Kotler, é uma segmentação ou recorte de um mercado. Ou seja, é a identificação de um grupo menor dentro de um setor, com necessidades e interesses específicos.


Não nos parecia muito clara a candidatura à reeleição do atual prefeito Paulo Bonfim. Os bastidores da política ainda têm dúvidas se o seu nome é o melhor para manter o governo que irá aniversariar 12 anos na administração de Juazeiro. Porém, vimos o cenário de lançamento de pré-candidatura do mesmo, no último dia 04 de julho, nas redes sociais.


Outras movimentações estão se consolidando e as pré-candidaturas vão se confirmando na imprensa e nas redes sociais como as de: Pastor Teobaldo, Suzana, Joseph, Coronel Anselmo, Raffani, Carlos Neiva, Jonh Khoury, Kalber, Capitão Moreira. Ufa!... Espero não ter esquecido ninguém.

Contudo, o que chamamos de nicho no mercado político, em Juazeiro, é a vaga de vice-prefeito ou vice-prefeita. Inclusive, com lançamentos oficiais.


Segundo a Constituição Federal Brasileira, em seu artigo 29, Vice-Prefeito(a) é o segundo cargo na administração do executivo municipal. É também um cargo representativo e eleito junto com o Prefeito, em quatro em quatro anos, em modo totalmente vinculado. Ele substitui o Prefeito em suas atividades administrativas e políticas, em casos de ausência por licença ou outros impedimentos. Como no caso do cago à Prefeito, só temos 1 (uma) vaga.


Com a alta concorrência para o cargo de Prefeito, mesmo que afunilada nos dias atuais, a composição da chapa para ocupar o cargo máximo da administração municipal ganhou um fortalecimento significativo. A maior concorrência é dentro do próprio Governo. Hoje, o cargo é ocupado pela Dra. Dulce Ribeiro, do Partido Democrático Trabalhista – PDT, com uma atuação, porém, não desejável para uma cidade com o porte de Juazeiro. Na verdade, acredito que o próprio partido pensa do mesmo jeito, pois lançou um novo pré-candidato, Ricardo de Arnaldão, para o próximo pleito.


Surgido, não sei de onde, com distanciamento real do município de Juazeiro, após as eleições municipais de 2016, o Delegado Charles Leão filiou-se ao Partido Progressista – PP e iniciou uma nova corrida pelas ruas da cidade, além de intensificar as postagens de fotos nas redes sociais, também, com declarações fortes sobre sua possível ocupação na chapa de Paulo.


E a mais recente, o Partido Comunista do Brasil – PCdoB, para que não perca o espaço político que obteve desde o primeiro mandato de Isaac Carvalho, lançou a psicóloga Lorena Pesqueira com pré-candidata à vice-prefeita.


Na oposição, há um entendimento, de quase todos, que a ocupação do cargo de prefeito em Juazeiro terá êxito se tiver um grupo político forte que some votos. Diluir a corrida eleitoral com vários candidatos beneficiará o governo que mantém a máquina administrativa forte, mesmo com pandemia da COVID-19.


O primeiro sonho é ser Prefeito ou Prefeita, mas, se não der, já iniciaram a mobilização para ser fortalecer como Vice. O grupo que tem se consolidado é o de Suzana com Joseph ou Joseph com Suzana. Fiquem bem à vontade para escolher! Tudo vai depender da possibilidade de Joseph Bandeira se viabilizar como candidato ou não.


Segundo um assessor político de um dos pré-candidatos a Prefeito que tive conversa pessoal nos últimos dias, referente à composição da chapa, foi afirmado que “quem vier primeiro bebe água limpa. Depois, só vai ter água suja”. Acredito que a referência da frase seja no sentido de que quem ceder primeiro ocupa a chapa como vice.


As pesquisas internas para a corrida eleitoral em Juazeiro, que tive acesso, já mostram um resultado de quem tem força para compor uma possível chapa vencedora. O desejo de ser Prefeito ou Prefeita e de tirar o grupo atual é grande, mas ninguém quer “beber água suja”.


Além do mais, o adiamento das eleições municipais ainda deixou o mercado mais movimentado. Quem estava com o tempo apertado agora ganhou fôlego para correr e pontuar nas pesquisas ainda mais.


Um Vice pode te engrandecer ou te derrubar. Vimos esse filme recente na relação da ex-Presidente Dilma Rousseff e seu Vice Michel Temer. Portanto, é necessário analisar os “produtos” com cautela. Sabemos que, em nome do jogo político, muitas vezes algumas convicções são deixadas de lado, mas os candidatos ao pleito executivo devem ter o cuidado na escolha do Vice que, ao contrário do que muitos pensam, não tem nada de “decorativo”. É só ver o que tem acontecido por aqui. E, enquanto não chegam às convenções partidárias, o mercado se aquece.



Iuric Pires Martins

Bacharel em Relações Internacionais,

Especialista em Gestão de Pessoas

com Ênfase em Gestão por Competência

na Gestão Pública e Mestre em Dinâmicas

de Desenvolvimento do Semiárido.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087