Pandemia da desinformação e da fake news



Por Iuric Pires


Se na semana passada, discuti aqui sobre a importância da liberdade de imprensa, hoje, quero conversar um pouco sobre outro tema bastante atual e tão importante quanto: o impacto das fake news (ou notícias falsas) em nossa sociedade. O termo “fake news” é utilizado para designar notícias que não são verdadeiras, compartilhadas em diversos meios de comunicação, com o intuito de atingir o maior número de pessoas – muitas vezes intencionalmente –.


Como grande parte das pessoas hoje vive um tempo considerável online com um smartphone, a propagação das fake news tem sido ainda maior. Grupos em whatsapp distribuem uma notícia em segundos e muita gente não está preocupada com a veracidade ou o que essa disseminação pode causar. Desde boatos locais em comunidades, até o mundo das celebridades, passando por assuntos como saúde, política e finanças pessoais, indústrias inteiras são movimentadas pelas fake news.


A pandemia do novo coronavírus, por exemplo, mostrou o quanto estamos vulneráveis às fakes news. De acordo com a startup de segurança PSafe, a doença aumentou consideravelmente a disseminação de fake News, como receitas mirabolantes para “matar o vírus”, links para o acesso ao auxílio emergencial, que na verdade são golpes, notícias sensacionalistas sobre o coronavírus, enfim. Uma verdadeira “pandemia” de desinformação.


No Brasil, a discussão sobre fake news tem ganhado diversos desdobramentos. Isso por que, em maio deste ano, a Polícia Federal cumpriu uma série de mandados de busca e apreensão do inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF), que apura produção de informações falsas e ameaças à Corte. O ministro Alexandre de Moraes foi o relator do caso.


Além disso, o Senado aprovou, no último dia 30 de Junho, o projeto de lei 2.630/2020, que institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e Transparência na Internet, do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que busca combater a disseminação de informações falsas na internet. O projeto recebeu 44 votos a favor e 32 contra, com duas abstenções.


A aprovação da lei foi uma derrota para o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que orientou seus aliados a votarem contra a matéria. O texto seguiu para a Câmara dos Deputados, que tem encontrado certa resistência para votar a lei. Enquanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem pressa em aprovar o projeto e vem se manifestando publicamente a favor da proposta, Bolsonaro disse que poderia vetá-lo. Um dos motivos de interesse dos parlamentares no projeto neste momento é a proximidade das eleições municipais e o receio do papel que as postagens nas redes sociais podem ter no pleito. De fato, o receio tem total fundamento. Cada vez mais vemos eleições sendo ganhas através da criação de fake news e isto faz com que os impactos negativos na sociedade sejam assombrosos.


Qualquer cidadão pode combater a disseminação de fake news com algumas ações simples:


1. Cheque as informações recebidas: pegue um trecho, copie num site de

busca tipo o Google e confira a veracidade;

2. Duvide de matérias sensacionalistas: geralmente elas são criadas

somente para chamar a atenção, através dos títulos, e não condizem

com a realidade da notícia (muita gente não se dá ao trabalho de ler a

matéria e compartilha para várias pessoas);

3. Cheque as datas: muitas vezes, notícias antigas são requentadas como

novas;

4. Desconfie de posicionamentos radicais: notícias verdadeiras trazem pelo

menos dois pontos de vista. No Jornalismo, isso é conhecido como

acesso ao contraditório. Fake News costumam ser acirrados na defesa

de apenas um lado da questão, sem ouvir o outro.

5. Por fim, não clique em links que prometem dinheiro fácil, prêmios e

transferências bancárias. Quase sempre é um golpe e você pode perder

dados ou ter seu aplicativo de mensagens clonado.


Iuric Pires Martins

Bacharel em Relações Internacionais,

Especialista em Gestão de Pessoas

com Ênfase em Gestão por Competência

na Gestão Pública e Mestre em Dinâmicas

de Desenvolvimento do Semiárido.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087