Reportagem do Cartaz da Cidade revela crescimento na busca de sistemas de segurança em Juazeiro



A redação do Cartaz da Cidade percorreu o Centro de Juazeiro, na manhã desta sexta-feira (09), para observar crescimento da implantação de sistemas de segurança no comércio do município. Com exclusividade, a equipe de reportagem entrevistou alguns comerciantes que aderiram à instalação de câmeras de segurança e alarmes em seus estabelecimentos.


A comerciante Maria Elianeide falou sobre a necessidade da implantação dos equipamentos no seu estabelecimento, especialmente neste momento crítico vivido em todo o mundo com a pandemia do Covid-19, que resultou em uma crise sanitária e econômica. “Nós estamos passando por um momento muito complicado. Todos os dias nós vemos os números dos assaltos e da violência crescendo, e isso assusta e muito. Nesse momento que nós estamos vivendo, pra gente ficar aberto até mais tarde fica complicado, porque as pessoas estão nas casas cedo, consequentemente, as ruas ficam desertas. Mesmo trabalhando com as portas baixas e através de delivery, nós estamos correndo sérios riscos. Instalar esses equipamentos é uma forma da gente tentar dificultar que aconteça o pior no nosso estabelecimento. É uma forma de aumentar a sensação de segurança”, disse a comerciante.



Outros proprietários de lojas informaram a nossa equipe de reportagem que não se sentem seguros em manter as lojas abertas e cobraram dos órgãos de segurança um melhor planejamento no policiamento na área central.


Um comerciante, que não quis ser identificado, relatou que seu estabelecimento foi arrombado duas noites seguidas, no mesmo horário e pelos mesmos criminosos. Indignado com a situação, ele disse que não se sente seguro na cidade. “Eu não me sinto seguro em momento algum. Nesse momento que estamos vivendo, tão complicado, as forças de segurança tinham que prestar um melhor suporte pra gente. A quantidade de vezes que a gente vê policiais aqui no centro, ou uma viatura, se tornou raro. A noite nós ficamos com receio de perder toda nossa mercadoria para os criminosos. Arrombaram minha loja duas vezes, levaram minha mercadoria e eu fiquei no prejuízo. E olha que isso aconteceu no centro da cidade, imagine se fosse em um bairro mais afastado. Seria interessante a intensificação do policiamento, em todos os horários, porque vira e mexe, a gente tá saindo no prejuízo por conta de assaltos, arrombamentos que não tem mais hora para acontecer. Nós estamos entregues”, disse o comerciante.


Nos últimos dias, notícias veiculadas em diversos canais de comunicação, mostraram que, durante a pandemia, ocorreu um grande aumento nos casos de arrombamentos à residências e comércios em todo o Brasil, bem como assaltos a bancos.

No início deste mês, agências bancárias no interior da Bahia foram atacadas por criminosos, sendo 3 deles arrombados em menos de quatro dias.




Da Redação / Caíque Lima


Compartilhe e Comente!