Vereador Allan Jones denuncia recursos da Previdência de Juazeiro indo pelo ralo.


Nesta segunda (15), o vereador Allan Jones, opositor ao governo do prefeito de Juazeiro, Paulo Bomfim, ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores e apresentou uma relação de gastos desnecessários no Instituto de Previdência de Juazeiro (IPJ). Em uma das assembleias realizadas na APLB-Sindicato, foi denunciado que o prefeito Paulo Bomfim (PCdoB) estaria se envolvendo diretamente nas decisões do órgão, fato este repudiado pelos presentes.


Hoje, Allan Jones postou em sua rede social os detalhes de sua apresentação.


Veja agora, na íntegra, a postagem do Vereador.


Estou apresentando requerimento à mesa desta casa solicitando uma audiência pública para se discutir os problemas que estão acontecendo no IPJ”, destacou o vereador na tribuna.



A gente houve a possibilidade do regime geral se quebrar, e eu como servidor não poderia deixar de falar. Realmente é assustador a forma de como está sendo conduzido o instituto de Juazeiro, a exemplo quando pego o consolidado das despesas repassadas no ano de 2018 – divulgados pelo Tribunal de Contas dos Municípios – onde só com consultorias se gastou mais de R$ 243 mil. Está gastando com serviços terceirizados mais de R$ 5 74 mil. No mês de fevereiro foi feito um credenciamento em que a pericia do IPJ iria ser terceirizada para que? Eu fui médico do IPJ, eu atendi por um ano e meio e conheço todos os profissionais consolidados que lá se encontram, todos eles médicos do trabalho, peritos habilitados”, listou.



Ele citou um dos exemplos destacando a maneira de como o dinheiro do contribuinte está indo pelo ralo. “Eu como perito recebia penas R$ 50,00 por atendimento, ainda assim recebia R$ 2 mil por mês, R$ 500,00 por turno, e agora com este novo credenciamento estão pagando mais de R$ R$ 250,00 pois isso é um absurdo o que compromete o equilíbrio do órgão”.


No ano de 2017 se gastou mais de R$ 400 mil com essas mesmas consultorias. Esses gastos estão sendo realizados para uma pequena estrutura onde se deveria gerir muito bem a receita, era para todos nós envelhecermos com tranquilidade no momento da aposentadoria, ou licenciado para tratamento de saúde, mas pelo que parece o IPJ passou a ser a galinha dos ovos de ouro da administração municipal”, relatou Allan durante entrevista ao AP.


Há mais de 12 anos o município vem sendo comandado por um grupo de pessoas de fora, que ao sair no apagar das luzes pode deixar um rombo incalculável. “Estas ações me preocupam porque estão partindo de pessoas que não são servidores do município, elas não tem zelo com com dinheiro, se acaba a administração e elas vão embora sem se preocuparem com os recursos da previdência”, alertou o vereador Allan.


Vereador Allan Jones Sobre as denuncias formuladas por Dalmir Pedra, Allan afirmou que “todas elas tem que

serem apuradas. Ele trouxe para discussão algo totalmente válido. O credenciamento é desnecessário porque as pessoas que já se encontram trabalhando são peritos experientes, mesmo porque trabalhei junto com elas. Depois que as coisas estão andando bem aí se descartam esses servidores devido a um credenciamento onde ninguém sabe de onde vem”.


Ele elogiou a determinação judicial suspendendo a contração da empresa vencedora da licitação. “Achei importante a decisão do juiz da Fazenda Pública Doutor Góes, principalmente quando se tem dúvida à respeito do edital. Isso tem que ser freado e apurar as responsabilidades. Espero que o mérito do conteúdo da liminar seja mantido. Se a empresa participou de um credenciamento e não tem a inscrição junto ao CRM, isso é uma afronta a nós servidores".

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro-BA, 48904-087