Você perde urina ao fazer algum tipo de esforço?



Por Jucélia Almeida


A perda de urina ao realizar algum tipo de esforço é mais comum que se imagina. Essa perda involuntária acomete ambos sexos e várias faixas etárias. A incontinência urinária (IU), como é definida, acontece quando a bexiga, órgão responsável pelo controle, não atua de maneira eficaz.


Para o controle da urina algumas estruturas são importantes, e precisam a atuar de maneira eficaz. Para dar sustentação aos órgãos do assoalho pélvico existem alguns músculos, como, por exemplo, elevador (no ânus), pubovaginal e coccígeo, que tem a função de suportar os órgãos pélvicos, fechar a pelve e suportar as vísceras na posição vertical e evitar a incontinência urinária e fecal. Precisa ainda da integridade do músculo detrusor e a inervação preservada da musculatura lisa da uretra e do músculo do esfíncter externo.


Com as musculaturas preservadas, a pessoa possui a capacidade de sentir a necessidade de fazer xixi e segurar tempo suficiente para chegar ao banheiro para evacuar. Quando estas não estão preservadas é bastante comum haver o que conhecemos como “urgência para urinar” ou, nos casos mais avançados, a incontinência (perda involuntária da urina).


Veja como funciona o controle do trato urinário:



De maneira bem simplificada acontece da seguinte forma: o cérebro envia o estimulo ao músculo detrusor que a bexiga está cheia e que necessita ser esvaziada, o músculo aciona a função de controle da urina, assim como a musculatura do assoalho é ativada para manter a urina na bexiga até o momento de evacuar.


O início da disfunção, por vezes, passa despercebida, mas, à medida que se agrava, a IU torna-se algo constrangedor para quem a tem. Exercícios básicos, como a contração voluntária e coordenada da musculatura do períneo, são a solução para esses casos e podem ser feitos durante o dia, até mesmo realizando outras atividades como estudar, trabalhar etc. Como fazer esses exercícios? É bem simples, basta contrair a musculatura, como se fosse prender o xixi, segurar por alguns segundos e soltar, podendo ser repetido várias vezes ao dia. Um exercício simples, que ajuda muito para a prevenção da IU.


Mas Dra., eu não consigo! Existe outra forma de treinar? Sim. Basta fazer esse exercício quando for ao banheiro, iniciar a libração da urina e tentar cortar o jato. Assim, poderá perceber como a musculatura funciona. Essa técnica, além de ensinar a trabalhar a musculatura do assoalho pélvico, serve como teste para ver a eficácia da musculatura. Lembrando que não pode ser um hábito esse exercício de interromper o jato. É para ser realizado apenas para treino e teste.


Mas eu fiz o exercício de interromper o jato e não consegui segurar. Há algo errado? Nesse caso, é importante buscar um profissional para ver como está o funcionamento de seu organismo. Existem profissionais, como os fisioterapeutas, que realizam os testes e trabalham a musculatura, com a Fisioterapia Uroginecológica.


Existem algumas classificações para a incontinência urinária:



Como já mencionado, os estímulos enviados pelo cérebro ao músculo extrusor, assim como os músculos de controle esfincteriano, são essenciais para o controle urinário.


Nos casos de IU de esforço, a musculatura não possui força suficiente de segurar a urina em ações como espirrar, tossir, riso, pegar peso. É comum, quando vamos realizar algumas dessa ações, contrair a musculatura de forma automática. Quando ela não está eficiente, acontece a perda de urina.


Nos casos da IU de urgência, o estímulo acontece de maneira equivocada, como, por exemplo, o enchimento da bexiga total sem receber estímulo para evacuar, como o estímulo de que a bexiga está completa sem estar, apresentando a urgência em urinar, com a ida mais frequente ao banheiro, pela sensação de bexiga cheia, sem que essa esteja.


Já para a IU de transbordamento não há a sensibilidade de sentir quando há a necessidade de evacuar, perdendo urina sem se perceber.


Alguns questionamentos formulados podem, aqui, ser esclarecidos:


Eu percebo que perco urina quando sorrio muito, posso ter incontinência?


Não podemos afirmar que possua incontinência, mas disfunção muscular (fraqueza) que deverá ser avaliada por um profissional.


Quando pego bastante peso na academia percebo que perco urina, é normal?


Não é norma! É possível que seja fraqueza da musculatura do assoalho pélvico e aconselho trabalhar o fortalecimento da musculatura.


Em períodos mais frios vou mais vezes ao banheiro. Pode ser algum problema?


Não. Em períodos mais frios, tendemos a ir mais vezes ao banheiro, visto que eliminamos menos água pelo suor e mais através da urina.


Ouvi dizer que existem uns pesinhos para trabalhar a musculatura do períneo é verdade?


Sim. Existem uns pesinhos chamados Kegel, assim como os exercícios de Kegel, para fortalecimento do assoalho pélvico. Existem pesos diferentes (gradativos), inclusive, utilizados pela fisioterapia, assim como dispõe de outros recursos.


Incontinência de esforço acontece em homens também?


Sim. Assim como acontece com mulheres, acontece com homens.



Jucélia Almeida

Fisioterapeuta,

Especialista em Oncologia,

Mestranda em Ciências.

Siga-nos em nossas redes sociais

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Notícia

Desenvolvido por

© 2018-2019. Todos os direitos reservados.

CaJú Publicidade Ltda

CNPJ: 21.107.640/0001-75

Marca_CaJú_PNG.png

Av. Flaviano Guimarães, 333, Cajueiro, Juazeiro - Bahia - Brasil 48904-087